domingo, 30 de novembro de 2008

POEMINHA

Novos dias virão apesar da chuva intensa que agora cai
Apesar do mangue que agora estamos,
Da cegueira quase eterna,
Apensar de tudo parecer tão fútil
E as lágrimas sejam tão correntes,
Correntes vão se desatar como o desabrochar das rosas
Sóis tocarão nossas face
E em face disto tudo ei de ganhar um escudo chamado poesia

4 comentários:

Menino Poeta disse...

poesia! surge assim de repente, em uma chuva que cai e nos traz o frio, na dor sentida, na vida corrida, no amor sofrido, assim tão rapidinho pode nascer um poeminha!!
belas as suas palavras

Carlos Rafael Dias disse...

Interessante, Poeta, ter te (re)conhecido momentos depois de teres postado esse "poeminha".

O título é pura ironia ou falsa modéstia...

Antonio Sávio disse...

Oi Rafel. Prazer poder ter-lhe (re)conhecido também. Tenho grande admiração por seu trabalho e por sua pessoa. É sempre um privilégio ter um comentário seu.
Do mesmo modo agradeço a visita do Menino Poeta. Volte mais vezes meu caro. Seja bem vindo.

Filhas da Pagu disse...

Sim! As flores hão de desabrochar novamente...
lindo.