domingo, 18 de dezembro de 2011

Onde estou? Dentro de tí.

 
Quarry
Ei, você que não sabe
Que eu vi quando tua lágrima caiu,
Que sempre estive perto, tão perto
Que você não viu que sempre estive dentro de você.
Você que não sabe que o brilho dos teus próprios olhos marejados
Sempre foram os faróis a me darem esperança,
Você que dança neste eterno caminhar
Como quem busca não se sabe o quê
Mas se quiser saber procure dentro de você
Pois dentro de mim, você já está.
Você que tem, o sentido de toda existência,
Que tem a latência de toda minha felicidade,
É só sorrir, para o dia nascer
E estas lágrimas que agora douram tua pele Rebente em prismas, pelos raios de luz, que se farão em pétalas a infestar o ar.


Foto: Elton
Fonte: http://olhares.uol.com.br/

4 comentários:

Van disse...

Oi querido. Também me lembro de você.
Que bom que apareceu lá no Van Filosofia.
Fiquemos por perto.

Beijucas

Sara Saraiva disse...

Adorável, como sempre! Não sei se estou muito sentimental, mas...
parece que esse texto foi feito pra mim.
Quão mágica é a literatura que parece guardar um pouquinho de cada leitor.

Antonio Sávio disse...

Obrigado Sara.

luz efemera disse...

Devemos sempre procurar primeiro dentro de nós...

Abraço