quinta-feira, 9 de outubro de 2008

CANSADO


Cansado. Vinte e poucos anos e cansado
De duas guerras que não viví, mas que tenho os membros alheios mutilados em minhas refeições...

Cansado dos anos de câncer que sobrevivi bravamente chorando a dor alheia

Cansado da luz de mercúrio sangrando pelos postes do subúrbio

Vidrado do salto do super-herói na TV, do suicida tentando salvar-se, do homem no prédio em chamas...

Vidrado na beleza asnática e vulgar da menina branca que passa
Cansado daquele olhar que me tortura e me devassa

Cansado das navalhas nas carnes, pulsos desistentes...
Cansado dos vultos de esperança que latejam em minha mente.

Cansado dos meus séculos perdidos no Egito,
E por meu grito não ser ouvido nunca mais
Cansado das torturas nas almas dos aflitos
E eu aflito, indiferente, são e doente...tanto faz.

2 comentários:

Thiago Assis disse...

Há alguns posts teus que e não comentava.
Não era por não vir mais aqui, eu venho sempre que há algo novo, mas era por não saber o que dizer sobre o texto.
Hoje li esse e gostei muito pelo tom, pela verdade, por isso resolvi me expressar aqui.

Abraço.

Antonio Sávio disse...

Obrigado Thiago. Seja sempre bem vindo. Sinta-se a vontade para postar quando quiser.