sábado, 14 de novembro de 2009

No repouso das horas noturnas.

No repouso das horas noturnas
No gemer do tempo silente
Estão as páginas amarelas de sempre
Desafiando-o sob a luz das tochas rubras

Estão as linhas pousadas nas pautas
Esperando a vigília de teu olhar insistente
Está a batalha do cansaço da vida diária
E a outra batalha noturna com os livros silentes

Está a mente do intelecto vazia
Preenchida gradativamente
Como o grão da ampulheta que cai

Formando o monte insistentemente
Está o tempo como desafio
Está você em luta consigo, permanentemente.

Imagem:Rembrandt. Parable of the Rich Man. 1627. Oil on panel. Gemäldegalerie, Berlin, Germany.

Um comentário:

onedelicatebutterfly disse...

Belíssimo!

Beijinho de luz!

:)