sexta-feira, 2 de abril de 2010

VER(A)CIDADE E AS PESSOAS


A fumaça dos carros

E as sombras que apalpam


Os prédios nos fins de tarde

Calam brados em mordaças

E lágrimas, que os passantes

Respondem com escarros.

As dores todas num cantochão

De vozes mudas correm cegas

Nas passarelas sobre as avenidas

Balbuciam mudas na foto do jornal

Que espicham o sangue hepático

Patético como as faces tristes

Deste funeral que se dá em letras

Correndo esta folha

Em forma de estertor... Ou quem sabe...

Em forma de poesia.

Foto: Joana Boavida

Um comentário:

J. disse...

A foto e o texto são de tirar o fôlego. Parabéns!

Beijos.