sábado, 15 de maio de 2010

Luzia, Luzia mulher.


Gosto de ti, Luzia mulher

Rosto de fera, sangue no olhar

Olho que é vida

Vida de força para quem quer

Luzia olhos de fera felina

Luzia que intimida quem ela quer

Olhos de fera, lábios cicuta

Luzia mundana, uma questão de fé

Luzia que é fera, é gata, bichana

Luzia em pedaços de paixões de mulher

Luzia que chora, que lamenta, que ama

Luzia são flocos de neve

No coração de quem ela quer

Ode a mulher fatal, a ex-Luzia pesticida

Ao olhar que persegue, que mendiga

Quando ela passa sem um olhar sequer

Luzia que aprende com as lágrimas do dia

Luzia que sabe que não é nada mais que uma mulher.


Foto: Pedro Silva

Um comentário:

Iris Pereira disse...

Que posso dizer de tão expressiva poesia...Não tenho capacidade para tanto, mas sei reconhecer o que é belo e o que mexe com minha alma e meus mais lindos sentimentos.
Eu que fiquei muito honrada com sua visita, se eu pudesse teria estendido o tapete de veludo vermelho para que passasse.
Me visite mais vezes.
Estou tentando criar um blog para meus textos mais quente. Aceito sugestão para um nome.