terça-feira, 27 de outubro de 2009

Amores certos talvez.

Há poemas de amor, decerto
Há poemas de paixões, talvez
Talvez não saiba fazê-los ao certo,
Por eles serem tão incertos, talvez

Talvez eu sofra de amores (de certo)
Talvez um deserto de amores sofri
O que sei é amo e sofro por certo
Uma justificativa terei

Amores não se explicam ao acerto
E se assim for amante não mais serei
Serei esse bárbaro que certo
Confunde o que é um amor eterno
Por uma fútil paixão na sintaxe do talvez.

Foto: Sanny

Um comentário:

Raysla Camelo disse...

Engraçado... amor é uma paixão que perdura.
A diferença é tão sutil que muitas das vezes eu até esqueço que ela existe.
=)