quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Chora Maria

Chora Maria, chora tuas dores pela estrada
Chora pelo mundo perverso
Chora de verso em verso
Vendo teus sonhos partirem pelo cais

Chora Maria, teus prantos e pesares
Leves flutuam em todos os cantos
Leves levitam, evitam
Teus prantos-orvalhos voarem em umbrais

Chora Maria, teu peito de dores
Já não mais suporta
Teus olhos verdes sem cores
Tuas pernas sem passos estancadas no cais

Chora Maria, com sonhos em mordaça
Com a vista embaçada
Ao que era a pouco luz
E que agora são passos escuros
Nos mais obscuros umbrais.

Foto: Pandora

2 comentários:

Jacque disse...

Gosto de vir aqui respirar toda essa tua poesia! O cheiro da poesia encanta-me!

Um abraço carinhoso,


Jacque

onedelicatebutterfly disse...

Belíssimo post menino querido!
Adoro te ler!
Beijinhos de luz!

:)