quarta-feira, 19 de novembro de 2008

TEMPO PARA MAIS UM PECADO



Sempre tenho tempo para mais um pecado
Sempre tenho muito tempo para contar cada brisa
Sempre com os pulsos firmes para levantar as saias
E se mesmo assim as fadas não me quiserem
Não há como não me deixar voar


Mesmo que não haja mais o galope
Haverão meus passos sobre a estrada
Mesmo que os anjos nos abandonem
Resta-me a minha própria luz
E mesmo que haja a rejeição das fadas
Ainda há o lupanar do céu
E as estrelas como cada meretriz que me seduz

2 comentários:

Flávia B. disse...

Pecar, nesse contexto, pode mesmo ser abraçar a virtude.

Beijos, moço :)

Thiago Assis disse...

Uma primeira estrofe bem humana,
uma segunda estrofe idealizada.

Gostei do contraste. =]


Thiago Assis,
www.thiagogaru.blogspot.com